7 Characterísticas de um Game Studio de Sucesso

steps

Muitos leram e adoraram o livro do Ed Catmull, Creativity, Inc. Este livro mergulha no processo de criação da Pixar e descreve como o estudio consegue manter a alta criatividade mesmo com o enorme crescimento da empresa. Ao ler o livro me fez pensar na minha própria experiencia no desenvolvimento de jogos e questionar por quê alguns estudios são bem melhores apesar de terem menos recursos.

Não me levem a mal, não pretendo ser Ed Catmull, tenho apensa seis anos de experiencia na industria de games. Não trabalhei em empresas AAA ou em pequeno estudio indie. Mas tenho experiência fazendo jogos free-to-play para web e mobiles para estudios reconhecidos e tive a opurtunidade de trabalhar com as pessoas mais talentosas da industria.

Então, o que faz um game studio de sucesso capaz de lançar jogos de qualidade e se sustentar nesta industria tão competitiva? Baseado na minha experiência, eu identifiquei sete características que fazem um estúdio de jogos de sucesso:

1. Equipes Compactas

  • Equipes grandes necessitam gerência. A necessidade de comunicação e várias reuniões aumenta significativamente e engenheiros e artistas podem acabar gastando porções significativas do tempo em reuniões, ao invéz de construir o jogo.
  • Grandes equipes levam a ausência de ‘carater’. Em uma equipe compacta cada membro se preocupa com a qualidade do jogo como um todo e os erros são vistos instantaneamente. Em grandes desenvolvedoras os membros se concentram em uma peça individual de cada vez e não têem a visão de como fica seu trabalho na integra do jogo como um todo.

Eu sou um defensor das equipes do tamanho certo. Em um projeto, a equipe deve começar muito pequena e conservar a proporção com a escala do projeto. Isto torna claro as necessidades de novos talentos.
Em estúdios de sucesso, projetos começam com uma equipe enxuta, experiente e já bem unida, de quatro a seis profissionais no máximo. A equipe cresce até quinze a vinte integrantes junto ao projeto que evolui desde o conceito de pré-produção, produção e lançamento. O crescimento da equipe é orgânico, novos membros da equipe são trazidos somente em absoluta necessidade.

Equipes ambiciosamente grandes, atrazam o desenvolvimento, em vez de acelerar o progresso. No geral, tente manter a equipe enxuta e certifique-se de que as pessoas que se juntam vão acelerar o processo.

2. Valor do software através apresentações

Essencialmente uma equipe tem apenas um objetivo: criar um hit. No início, o progresso em direção ao objetivo final é exibido através de protótipos e, mais tarde, através de testes internos e externos. Estúdios bem sucedidos fazem progressos rápidos em direção aos primeiros protótipos jogáveis e começam a iteração com base no feedback qualitativo das builds geradas. No final, o teste final para a equipe do jogo é o lançamento ‘soft-launch’ (para audiência limitada; beta-test) durante o qual o jogo tem que atingir indicadores chave de desempenho (KPIs).

Estúdios deve ter a coragem de encerrar projetos que não conseguem atingir as metas de KPI ou responder com êxito ao feedback qualitativo. Fechar projetos é importante porque o lançamento de um jogo de baixo desempenho a nível global pode se tornar uma má decisão de longo prazo para o estúdio como um todo. Poderá desperdiçar recursos que são necessários para lançar novos projetos ou apoio crescente dos jogos lançados.

3. Use benchmarks(protótipos + testes + feedback)

Protótipos permitem que a equipe obtenha um jogo rapidamente e tê-lo jogável permite playtests. Dados dos feedbacks começam a orientar o desenvolvimento. Na minha experiência, quanto mais original e complexo o jogo, maior o risco. Estúdios que fazem jogos de sucesso tendem a limitar o risco limitando o excesso de inovação; escolhendo uma plataforma bem especifica, celular, web ou pc. Com referências claras, o desenvolvimento feito em pré-produção e produção é baseada em conceitos comprovados por protótipos, o que significa que os recursos ou sistemas que a equipe está construindo tem um ou dois títulos de referência. Além de diminuir o risco, benchmarks fortes reduzem o tempo de desenvolvimento assim como designers, engenheiros e artistas têm uma versão jogável para aprender.

Hearthstone da Blizzard é fortemente inspirado por Magic the Gathering. Designers do jogo têm sido capaz de manter o meta-game construção do card-deck bem elaborado e reduziram significativamente a barreira de entrada.

Outra abordagem ao uso de benchmarks, embora um pouco mais arriscado e demorado, é construir primeiro completamente o jogo-benchmark. Depois disso, a equipe cria seu próprio jogo visivelmente diferenciados com base no benchmark. Produção com parâmetros de referência é algo que a Blizzard é extraordinária, com jogos como Hearthstone, que é baseado no Magic the Gathering; Heroes of the Storm, que usou League of Legends como referência e fundação; e Overwatch, que é fortemente inspirado pelo Team Fortress.

4. Jogue os seus jogos até a exaustão

As equipes que gostam de jogar o própio jogo acabam construindo um grande jogo. Muitas vezes, especialmente no início do desenvolvimento, é difícil de jogar o jogo que você está construindo. A compilação é bugada e não tem a maioria da arte final. No entanto, jogar constantemente, a equipe acaba não só limpando todos esses erros que chateam as experiências de usuário, mas também realmente criando algo que os jogadores vão adorar.

Na minha experiência jogar o jogo até a exaustão é realmente o molho secreto de ajuste dos estúdios de sucesso. Simuladores podem ajudar a finalizar o set valores no jogo. Playtestes aprimoram a experiência do usuário. O primeiro passo é sempre jogar o jogo como uma equipe.

5. Respeite seus jogadores

Os nossos jogadores são os nossos fãs. Eles jogam nossos jogos ainda mais do que nós. Eles criam comunidades dentro e ao redor de nossos jogos tornando-os em fenômenos. Estúdios de sucesso têm como objectivo criar jogos que não só deliciam os seus jogadores, mas também desafiá-los.

Se um estúdio não pensar muito sobre seus jogadores isso vai aparecer no software. Quando os gerentes de produtos e designers consideram os jogadores muito simples para entender as mecânicas mais profundas, seu jogo não terá meta-jogo e elementos de exploração mais profundas. Tirar meta-jogo é deixar o jogo com loops repetitivos e pobre retenção a longo prazo. Perder o respeito para com os jogadores é um caminho perigoso que não só afeta um jogo em desenvolvimento, mas também pode matar uma comunidade em torno de um jogo de sucesso, não importa o quanto o marketing está definido para apoiá-lo.

Empresas como Riot, Blizzard e Supercell investem fortemente em suas comunidades e cultivam um profundo respeito com os seus jogadores. Isso permite que essas empresas de criar jogos de longa duração e massivamente bem-sucedidos, que são ainda melhorados por fortes comunidades de todo o jogo.

6. Delegue decisões

Estúdios de sucesso capacitam suas equipes para tomar suas próprias decisões e assumir a responsabilidade das decisões tomadas. Com playtests internos e externos, as equipes do jogo recebem regularmente feedback sinceros e firmes. Esses feedbacks devem então ser convertidos em metas quantificáveis.

Quando uma equipe está habilitada a tomar decisões sobre o desenvolvimento de seu jogo, ela aumenta o compromisso para executar e definir as metas. Também melhora a qualidade da tomada de decisão, porque uma vez tomada a decisão, não há mais ninguém para culpar pelo resultado. Finalmente, capacitando a equipe para tomar decisões no estúdio permite que as equipes aprenderem mais rápido. A tomada de decisão requer uma análise minuciosa e com o aumento dos membros responsáveis, vai acabar fazendo melhores hipóteses e planos de ação.

Deixar equipes experimentar e falhar é uma difícil decisão para o(s) lideres do estúdio, cuja a responsabilidade é formação de equipes e empurrá-las para lançar títulos no menor tempo possível.
Ao contrário, se reter poder de decisão, pode acabar rebaixando a equipe em simples unidades e removendo caráter(alma ou assinatura) do jogo que estão fazendo. Tenho notado que os estúdios que aceitam esse desafio criam o melhor ambiente de capacitação e responsabilidade.

7. Sempre lance

Estúdios de sucesso lançam jogos que crescem em hits. Surpreendentemente, muitas vezes, os estúdios que têm todos os seis elementos acima e não têm a coragem de puxar o gatilho e enviar seus jogos. Estes estúdios tendem a ser muito críticos em relação a seu próprio trabalho a um ponto onde a crítica realmente machuca ao invéz de ajudar o desenvolvimento. Quando a crítica começa cortando a confiança de uma equipe, ela também tende a aumentar o tempo de desenvolvimento com mudanças e novas funcionalidades são adicionadas para atender ao feedback. Crítica é fundamental, mas eu acredito que a equipe também precisa de estar por trás do que eles acreditam, de que é certo, em vez de ajustar constantemente o feedback interno interminável.

Um amigo e ex-colega meu que lançou alguns dos melhores jogos absolutos em ambos Facebook e mobile, disse que só há uma maneira de falhar no desenvolvimento de jogos que é não lançar nada. O que ele quis dizer foi que você nunca sabe se o jogo será um sucesso ou não. Claro, os testes do jogo dão uma boa indicação, mas no final é o mercado que vai dar o veredicto final.

Às vezes é simplesmente melhor lançar o jogo no beta do que construir todas as features do jogo final na para ver que não funciona ou que o jogo não pode até mesmo bater seus indicadores KPIs em soft-launch. No final, o lançamento é apenas uma das inúmeras versões do jogo.

Texto original: GamaSutra – 7 Characteristics of a Successful Game Studio

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *